Direitos Humanos
  • O OIDH destaca-se no mundo: por ser livre, independente, autónomo, sem qualquer conotação política, religiosa, ou outra, engloba todos os setores sociais, não faz distinção de raça ou cor da pele, e defende incessantemente os princípios consagrados na Declaração Universal dos Direitos do Homem. Características extraordinariamente relevantes e pouco comuns na atual sociedade global.



    Criado com o propósito de promover a Paz no Mundo e contribuir para a Erradicação da Extrema Pobreza, é de referir que pelo OIDH não passam valores de qualquer espécie ou natureza, estabelece só, a “ponte” de quem dá e de quem recebe. Os elementos que integram o OIDH, num invulgar gesto de solidariedade, oferecem graciosamente o seu trabalho em prol da Humanidade e ainda suportam despesas inerentes a determinados encargos. Chegam milhares de propostas ao OIDH, contudo apenas são consideradas aquelas que se identificam com os objetivos específicos deste Observatório.

  • PÁGINAS

  • REPRESENTAÇÕES (CIDADADINA)

  • PREÂMBULO – ESTATUTOS

    Preâmbulo aos Estatutos do
    OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS (OIDH)
    Servir a Humanidade


    Com o objetivo primordial de promover a Paz no Mundo e o bem comum da Humanidade, no âmbito da cidadania global, é criado o Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH).
    Numa perspetiva transgeracional assente na cidadania ativa e na solidariedade humana, com a presente matriz metodológica, procura-se contribuir para um mundo melhor, trabalhar em prol de todos os que compõem a vida em sociedade tendo em consideração os mais desfavorecidos.
    Através deste exercício de cidadania e participação cívica, faz-se a transposição destes valores para um contexto que visa promover a Paz no Mundo e, de uma forma geral, procura o bem comum da Humanidade.
    Consubstanciado nas virtudes desta participação cívica, considerada uma fonte de honra e respeito, promove-se um maior grau de consciência e práticas de cidadania no que concerne à resolução dos problemas que afetam a Humanidade.
    O OIDH, de amplitude mundial, com o lema “Servir a Humanidade”, dá particular atenção aos maiores e mais persistentes ao longo da História da Humanidade flagelos sociais, com especial enfoque na extrema pobreza, na fome e desnutrição, que atingem milhões de seres humanos em todo o mundo.
    Considerando que o princípio da dignidade da pessoa humana é um valor inalienável, os Estatutos do OIDH assentam nessa premissa fundamental.
    Os Estatutos do OIDH podem ser lidos aqui.

  • CERIMÓNIA COMEMORATIVA DO 99º ANIVERSÁRIO DO ARMISTÍCIO DA GRANDE GUERRA

    No dia 11 de Novembro de 2017, pelas 10:30, em Belém – Lisboa, o Presidente da República de Portugal e Comandante Supremo das Forças Armadas presidiu, no Monumento aos Combatentes do Ultramar – Forte do Bom Sucesso, a uma cerimónia de enorme simbolismo para a Humanidade, veja aqui.

    Combatentes
  • CENTRO CULTURAL DE BELÉM (CCB) LISBOA – PORTUGAL ACOLHE COLÓQUIO INTERNACIONAL

    Gracia Mendes Nasi é homenageada tendo em linha de conta a Dignidade da Pessoa Humana, os valores da Liberdade, da Igualdade e da Solidariedade, como Direitos Fundamentais num Estado de Direito Democrático, veja aqui.

    Coloquio
  • UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA DO BRASIL ACOLHE EMBAIXADA DO OIDH

    A Universidade do Estado de Santa Catarina do Brasil recebeu o título de Embaixada de Direitos Humanos ao Serviço da Humanidade do Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH), veja aqui.

    Embaixada
  • DIA INTERNACIONAL DA PAZ

    No dia 21 de Setembro de 2017, O Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH) assinalou o Dia Internacional da Paz através de uma série de iniciativas que decorreram em Portugal e noutros lugares do mundo, veja aqui.

    Forçadas Armadas
  • MENÇÃO HONROSA À ROSTO SOLIDÁRIO

    Realizou-se no dia 17 de Setembro de 2017, pelas 10:00, na Igreja dos Missionários Passionistas de Santa Maria da Feira, uma homenagem à Rosto Solidário, veja aqui.

    Forçadas Armadas
Direitos Humanos