Direitos Humanos
  • O OIDH destaca-se no mundo: por ser livre, independente, autónomo, sem qualquer conotação política, religiosa, ou outra, engloba todos os setores sociais, não faz distinção de raça ou cor da pele, e defende incessantemente os princípios consagrados na Declaração Universal dos Direitos do Homem. Características extraordinariamente relevantes e pouco comuns na atual sociedade global.



    Criado com o propósito de promover a Paz no Mundo e contribuir para a Erradicação da Extrema Pobreza, é de referir que pelo OIDH não passam valores de qualquer espécie ou natureza, estabelece só, a “ponte” de quem dá e de quem recebe. Os elementos que integram o OIDH, num invulgar gesto de solidariedade, oferecem graciosamente o seu trabalho em prol da Humanidade e ainda suportam despesas inerentes a determinados encargos. Chegam milhares de propostas ao OIDH, contudo apenas são consideradas aquelas que se identificam com os objetivos específicos deste Observatório.

  • PÁGINAS

  • REPRESENTAÇÕES (CIDADADINA)

  • PREÂMBULO – ESTATUTOS

    Preâmbulo aos Estatutos do
    OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS (OIDH)
    Servir a Humanidade


    Com o objetivo primordial de promover a Paz no Mundo e o bem comum da Humanidade, no âmbito da cidadania global, é criado o Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH).
    Numa perspetiva transgeracional assente na cidadania ativa e na solidariedade humana, com a presente matriz metodológica, procura-se contribuir para um mundo melhor, trabalhar em prol de todos os que compõem a vida em sociedade tendo em consideração os mais desfavorecidos.
    Através deste exercício de cidadania e participação cívica, faz-se a transposição destes valores para um contexto que visa promover a Paz no Mundo e, de uma forma geral, procura o bem comum da Humanidade.
    Consubstanciado nas virtudes desta participação cívica, considerada uma fonte de honra e respeito, promove-se um maior grau de consciência e práticas de cidadania no que concerne à resolução dos problemas que afetam a Humanidade.
    O OIDH, de amplitude mundial, com o lema “Servir a Humanidade”, dá particular atenção aos maiores e mais persistentes ao longo da História da Humanidade flagelos sociais, com especial enfoque na extrema pobreza, na fome e desnutrição, que atingem milhões de seres humanos em todo o mundo.
    Considerando que o princípio da dignidade da pessoa humana é um valor inalienável, os Estatutos do OIDH assentam nessa premissa fundamental.
    Os Estatutos do OIDH podem ser lidos aqui.

  • DIA INTERNACIONAL DA SOLIDARIEDADE HUMANA – 20 DE DEZEMBRO DE 2017

    O Dia Internacional da Solidariedade Humana - 20 de Dezembro de 2017, foi assinalado pelo Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH) no Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa - Portugal, em memória das vítimas dos trágicos incêndios ocorridos em Portugal, em 2017, veja aqui.

    mosteiro
  • NÚCLEOS DE ESTUDOS NO BRASIL

    O OIDH criou Núcleos de Estudos no Estado de Santa Catarina - Brasil. A Professora Doutora Jurema Iara Reis Belli, Coordenadora-Geral da Embaixada de Direitos Humanos ao Serviço da Humanidade do Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH) instalada na Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC – Brasil, é também, coordenadora dos Núcleos de Estudos que estão vinculados a essa Embaixada, veja aqui.

    Brasil
  • DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS – 10 DE DEZEMBRO DE 2017

    O Dia Internacional dos Direitos Humanos - 10 de Dezembro de 2017, foi assinalado pelo Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH), em Portugal, país sede do OIDH e, noutros lugares do mundo, onde este Observatório se encontra representado, veja aqui.

    Combatentes
  • CERIMÓNIA COMEMORATIVA DO 99º ANIVERSÁRIO DO ARMISTÍCIO DA GRANDE GUERRA

    No dia 11 de Novembro de 2017, pelas 10:30, em Belém – Lisboa, o Presidente da República de Portugal e Comandante Supremo das Forças Armadas presidiu, no Monumento aos Combatentes do Ultramar – Forte do Bom Sucesso, a uma cerimónia de enorme simbolismo para a Humanidade, veja aqui.

    Combatentes
  • CENTRO CULTURAL DE BELÉM (CCB) LISBOA – PORTUGAL ACOLHE COLÓQUIO INTERNACIONAL

    Gracia Mendes Nasi é homenageada tendo em linha de conta a Dignidade da Pessoa Humana, os valores da Liberdade, da Igualdade e da Solidariedade, como Direitos Fundamentais num Estado de Direito Democrático, veja aqui.

    Coloquio
Direitos Humanos