Direitos Humanos
  • O OIDH destaca-se no mundo: por ser livre, independente, autónomo, sem qualquer conotação política, religiosa, ou outra, engloba todos os setores sociais, não faz distinção de raça ou cor da pele, e defende incessantemente os princípios consagrados na Declaração Universal dos Direitos do Homem. Características extraordinariamente relevantes e pouco comuns na atual sociedade global.



    O OIDH de amplitude mundial, para melhor “Servir a Humanidade”, está acima de quaisquer interesses políticos e ideológicos, entre outros, de qualquer país do mundo. O OIDH congratula-se pelas mensagens procedentes das mais distintas personalidades e de cidadãos em geral de diferentes lugares do planeta, que enaltecem a forma como se encontra estruturado, por lhe dar absoluta independência, tornando-o único à escala planetária, em função da metodologia de ação adotada, do seu estatuto singular e da sua vinculativa Norma de Execução Permanente (NEP) que o protege em todos os domínios

  • PÁGINAS

  • INFORMAÇÃO MUITO IMPORTANTE


    É relevante que seja do conhecimento geral o seguinte: todos os elementos que integram o OIDH, além de oferecerem graciosamente o seu trabalho em prol da Humanidade, suportam ainda despesas inerentes a determinados encargos. Considerando que o OIDH se encontra estruturado exclusivamente no âmbito da “pura” cidadania, a sua existência, assim como os resultados do seu trabalho, são reflexo apenas desse voluntariado.

  • REPRESENTAÇÕES (CIDADANIA)

  • PREÂMBULO – ESTATUTOS

    Preâmbulo aos Estatutos do
    OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS (OIDH)
    Servir a Humanidade


    Com o objetivo primordial de promover a Paz no Mundo e o bem comum da Humanidade, no âmbito da cidadania global, é criado o Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH).
    Numa perspetiva transgeracional assente na cidadania ativa e na solidariedade humana, com a presente matriz metodológica, procura-se contribuir para um mundo melhor, trabalhar em prol de todos os que compõem a vida em sociedade tendo em consideração os mais desfavorecidos.
    Através deste exercício de cidadania e participação cívica, faz-se a transposição destes valores para um contexto que visa promover a Paz no Mundo e, de uma forma geral, procura o bem comum da Humanidade.
    Consubstanciado nas virtudes desta participação cívica, considerada uma fonte de honra e respeito, promove-se um maior grau de consciência e práticas de cidadania no que concerne à resolução dos problemas que afetam a Humanidade.
    O OIDH, de amplitude mundial, com o lema “Servir a Humanidade”, dá particular atenção aos maiores e mais persistentes ao longo da História da Humanidade flagelos sociais, com especial enfoque na extrema pobreza, na fome e desnutrição, que atingem milhões de seres humanos em todo o mundo.
    Considerando que o princípio da dignidade da pessoa humana é um valor inalienável, os Estatutos do OIDH assentam nessa premissa fundamental.
    Os Estatutos do OIDH podem ser lidos aqui.

  • O MUNDO EM AÇÃO

    Bombeiros Voluntários de Joinville – Brasil, integram rede Mundial pela Paz (OIDH), veja aqui.

    Oficializada em Portugal a criação do Centro Internacional de Acolhimento do OIDH no Dia Internacional da Tolerância, veja aqui.

    França e Alemanha, unidos por uma amizade duradoura, OIDH presente, veja aqui.

    Bandeiras
  • O PARLAMENTO PORTUGUÊS ASSINALOU CONVENÇÃO EUROPEIA EM PORTUGAL

    Uma conferência comemorativa dos 40 anos de Adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos foi organizada pelo Ministério da Justiça e pela Ordem dos Advogados e, decorreu na Sala do Senado na Assembleia da República, no dia 9 de Novembro de 2018, o OIDH esteve representado, veja aqui.

    Comemorações
  • CENTENÁRIO DO ARMISTÍCIO DA GRANDE GUERRA

    Homenagear a Paz e Honrar a Memória de todos os que lutaram e morreram pela Pátria. O Centenário do Armistício da Grande Guerra foi assinalado em Portugal – Lisboa, na Avenida da Liberdade, no dia 4 de Novembro de 2018, pelas 11:00, com um desfile militar, o OIDH esteve presente, veja aqui.

    Comemorações
  • VÍTIMAS DA SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA HOMENAGEADAS

    O Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH) e, a Guarda Nacional Republicana (GNR), em parceria, homenagearam as vítimas da Sinistralidade Rodoviária. Visualize esta e, outras iniciativas que foram realizadas nesta sequência. Veja aqui.

    Comemorações
  • DIA INTERNACIONAL DA PAZ

    A ONU, entre muitas outras entidades nacionais e internacionais, associaram-se à cerimónia que ocorreu em Portugal, para assinalar o Dia Internacional da Paz. Esta cerimónia foi promovida pelo Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH), veja aqui.

    Comemorações
  • COMEMORAÇÕES DOS 70 ANOS DA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS (DUDH) E DOS 40 ANOS DA ADESÃO DE PORTUGAL À CONVENÇÃO EUROPEIA (CEDH)

    Decorreu no dia 7 de Setembro de 2018, pelas 10:30, no Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal (Palácios das Necessidades), uma cerimónia que visou assinalar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e, dos 40 anos da adesão de Portugal à Convenção Europeia, o OIDH esteve representado.
    O programa destas Comemorações recebeu o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República de Portugal, veja aqui.

    Comemorações
  • PROJETO DE SOLIDARIEDADE EM PROL DE TIMOR LESTE

    Esta iniciativa partiu de Portugal e visou construir de “raiz”, uma Escola, com o objetivo de ajudar crianças pobres que vivem nas montanhas de Boebau/Manati, veja aqui.

    Aristides
Direitos Humanos